Arquivo | junho, 2011

Look Suzane von Ritchofen

29 jun

Muito bem: você é um homicida. Ok, seus pais prefeririam que você fosse doutor ou advogado, mas você é um agent provocateur e decidiu que é tirar vidas é seu heaven on earth. Desculpa para se vestir mal? Lógico que não, bee.

O segredo é ser elegante e intimidador, optando pela versão masculina do little black dress: a camisa preta. A opção pela cor escura somada aos bordados de pistolinha deixa claro que você está de luto e é um matador, é fashion multitasking, com várias utilidades. Com esse recado dado, as meninas da moda vão ter tanto medo de você que seu nome do meio poderia ser Bulimia. Simples demais? Até assassinos são filhos de Deus (a maioria inclusive diz ouvir a voz Dele dentro da cabeça) e precisam de seus acessórios, e nesse caso o principal bijou que você pode escolher é seu próprio pêlo facial. Não tenha vergonha de deixar crescer até ficar anti-higiênico: pode até servir como repelente de estupro na cadeia. Família Manson tá super usando!

Agora que você transformou latrocínio em trending topic, você tem que tomar cuidado para não ser last week. A ascenção e a queda são rápidos no mundo da moda e do crime: dizem que Chico Picadinho mandou cartas para Karl Lagerfeld pedindo um figurino, e especialistas em social media dizem que Suzane von Ritchofen teria causado ainda mais buzz e mídia espontânea se, no lugar de lentamente embarangar (era tão gatinha quando os corpos ainda estavam frescos!) optasse por um look mais Bonnie Parker, retrô e frenchy.

Você não quer ser o próximo Mata a Mãe e Xinga a Imprensa, então já tire sua própria mugshot, descolada e moderna, com truques baratos de tempo de esposição e referência ao seus ídolos do ramo, já garantindo a qualidade da sua capa para a Veja, os auxilando com manchetes pedantes de baixa qualidade e assim evitando que eles utilizem alguma foto ruim do seu julgamento ou aquelas montagens cafonas que deixaram causariam pesadelos na Annie Leibovitz.

Leve a coisa para um outro nível, seja um Irmãos Cravinhos meet Irmãos Campana.
Anúncios

Correio Fashionista #6

28 jun

Finalmente é terça-feira, dia de engrandecer a vida de vocês com a sabedoria milenar da moda.

Dear Überfashiongurus do TDUL

É unânime em nosso circulo feminino de amizades a predileção por cuecas boxer em nossos gatinhos, assim como também é quase unânime que elas devem ser branca, preta, cinza ou, no máximo, azul marinho. Não estamos falando aqui da infame ‘cueca feia’, aquela eleita pro futebol do sábado ou para ver a corrida F1 no domingo. Mas sim da cueca a ser apresentada para a guria no calor do momento.
Independente das ‘cores eleitas para a estação’, não queremos ver nossos gatinhos usando cuecas vermelhas como adeptos eternos da febre Baywatch, verdes palmeirenses de plantão ou roxas para os… os… (essas só se explicam se compradas na promoção, e entram no conceito ‘cueca feia’). Vejam a foto em anexo, uma cueca encontrada numa loja de departamentos.

Nos ajudem… estamos pensando dentro da caixa? Por favor nos ajudem como manter o fogo do momento depois de presenciar a Underwear PANTONE catalog style? Sim, broxamos com esse mal gosto a lá rainbow ou color block.

Atenciosamente,
Sarah

No âmago do espírito masculino há uma força, um sopro primitivo, que nos impede de ter o pleno bom gosto. Dói saber disso, eu entendo, mas é a verdade. É o ciclo da vida e a mulher precisa entender: eventualmente nossas cuecas serão feias. Nós vamos usar uma underwear vermelha e, por mais que machuque vocês, vamos falar “O bombeiro chegou na cidade”. E como se sofressemos de Asperger e não tivessemos reparado no seu semblante triste, vamos insistir “E adivinha onde está a mangueira?”.

Não nos orgulhamos, nem queremos promover esse comportamento. Mas é culpa não é nossa, vejam nos livros de Biologia. A única salvação é transformar esse comportamento em cult. Coisas horrendas como Erasure e O Deus e o Diabo na Terra do Sol hoje agradam as meninas, e é com essa esperança pulsante e gentil que sonhamos com um dia em que uma namorada, de peito estufado, assuma: sim, a cueca do meu namorado tem um desenho do Batman.

E você? Tem alguma dúvida como a da Sarah, nossa amiga preocupada? Então nos envie um email. Vamos responder os melhores no Correio Fashionista, toda terça-feira.

Look Para Não Causar Polêmica

27 jun

Oi meninas! Vocês sabem que, assim como um rock-boy monta uma banda cover de Ramones apenas com o intuito de pegar mulher (ou uma banda cover de Cine com o intuito de pegar homem), nós aqui no Todo Dia Um Look também temos metas pessoais a cumprir. Por exemplo, o Matias procura uma namorada, o Vinícius quer tirar o nome do Serasa e eu… bom, eu só queria ser reconhecido por um estranho na rua. E foi o que aconteceu.

Estava caminhando tranquilamente, desfilando todo meu outfit quando um rapaz gritou “Gabriel!!!”. Olhei surpreso e ele repetiu “Gabriel, do Todo Dia Um Look?”. Ainda surpreso, fiz um sinal afirmativo com a cabeça.

O rapaz continuou, como se fosse o John Galliano não entendendo como judeus ainda podem existir. “Gabriel, do Todo Dia Um Look, que postou aquele Look do Cativeiro?” Concordei com os olhos e em poucos segundos levei um PUNCH na boca. Caí no chão e quando restartei a consciência só me veio uma imagem à cabeça: o capacitor de fluxo o Look Para Não Causar Polêmica.


O Look Para Não Causar Polêmica lhe garantirá a máxima experiência social sem lhe causar qualquer prejuízo, pois com esse look basic e sem graça você pode ter certeza absoluta que não chocará ninguém. Não existe pessoa que dará atenção para uma calça jeans e uma camiseta branca sem estampa.

Se John Galliano estivesse usando uma calça jeans e uma camiseta branca sem estampa quando disse “Amo Hitler”, jamais seria demitido da fashion scene. Talvez até ganhasse uma promoção. Jesus Cristo estaria vivo até hoje caso usasse calça jeans e camiseta branca sem estampa ao invés daquele look chupado de um clipe ruim do MGMT.

E se ficar frio (neve tá super usando na Europa) basta colocar aquele hoodie cinza e sem graça, fechado, para não se destacar demais. Enfim, ninguém gosta de polêmica e, para ser trendy, você também não deve gostar.


Complementa o look um inchaço causado pelo soco do leitor irritado.

Look Rastafári de Apartamento

24 jun

Reza a lenda que certa vez, em uma roda de famosos, Yves Saint Laurent voltou-se para Pierre Bergé e proclamou em alto e bom som: “Bote um engorde aí, dos meu, aqui é Paris e não cadeia pra nóis fumá de finóris”, gerando gargalhadas entre todos os presentes. Em tempos de marchas pró maconha, busquei em um freqüente look urbano a inspiração para esse post: O Rastafári de Apartamento.

Isso mesmo, você é branco, patético, dá uns amassos na Carlinha ao som de um reggae genérico do Armandinho, repete frases aleatórias creditadas a Bob Marley (que se revira no caixão cada vez que você menciona a religião da qual que você NÃO pode participar – leia as regras!) e é responsável por grande parte das associações negativas em relação a usuários de drogas. Um crackeiro que se alimenta de pombos tem mais credibilidade do que você.

Camiseta color blocking da reguêra com o sempre t-shirtable Godfather do Reggae (constantemente visto em estampas de mash-ups com leões), baggy pants, sunglasses pra esconder os red-eyes (conjuntivite tá super usando) no almoço da Vó Mirtes e essa touca que vai fazer com que você arrependa de cada segundo desperdiçado com bobagens na sua adolescência são o outfit perfeito pra dançar o Catch a Fire inteiro, bolar um bem prensado no parquinho da vizinhança e levar um atraque delicioso da PM (ou da Vó Mirtes, whatever).

Dois ícones indispensáveis pro chapadão trendsetter: o papel para enrolar cigarros Colomy (fuck Pure Hemp, Smoking e essas frescurinhas de arroz, Colomy é mais noventista do que clipe do Planet Hemp sendo exibido depois da meia-noite) e a sua Licensa Oficial de Maconheiro, carteirinha com os direitos do usuário que vai super agradar aquele policial mal pago e sem nenhuma paciência pra você e a OFWGKTA caucasiana de seu bairro.

Look The Dude

22 jun

Devido a polêmica do post de segunda-feira, decidi adiar o Look Klu Klux Klan para outro dia. Substituindo, farei uma homenagem a um herói de celulóide que nada tem a ver com a supremacia branca. Acompanho de perto o blog Um Ano Sem Zara (e com “acompanho de perto” quero dizer “entro uma vez por semana para copiar ideias”) e recentemente vi que ela prestou um tributo ao fab four feminino: Samanta, Miranda, Carrie e Tony Montana, as meninas do Sex and The City. Tendo um tête à tête com o Matsumoto, meu personal stylist/guarda-costas/alter-ego (eu realmente tenho que tomar aqueles remédios que o doutor recomendou), percebi que o equivalente masculino ao mundo pink onde os diamantes duram para sempre de Manhattan é o protagonista da obra O Grande Lebowski. É isso mesmo, hoje farei uma releitura dos melhores looks do The Dude, His Dudeness, El Duderino.

Nosso herói é um bon vivant que vive em um eterno spring/summer, onde o conceito de conforto colide com lifestyle e atitude, resultando numa petit explosão de sutileza e bom gosto. Deixe de lado qualquer estampa quando, friendo, você tem um tapete persa. O visual clean da sua roupa (apenas como termo, para atingir essa tonalidade é bom deixar umas semanas sem lavar) mergulha em um mundo de cores e vibrações do tapete persa e ambos caminham lado a lado, mesmo sem combinar ou causar bem estar para alguém, exatamente como o casamento dos seus pais. Além do amor que você destruiu ao nascer e acabar com a vida sexual dos seus pais, traga mais recordações do passado: um walkman e uma fita do Creedence pra você que não se vende as hypes tecnológicas do momento (o famoso “desempregado”).

Ao te verem na rua, todos vão atestar: homens também choram, senhor Lebowski. Casaco peruano e bermuda, what a concepet. Não quer usar bermuda leve e moletom peludo? Ces’t la vie, talvez a moda não seja pra você. Não se sinta mal, nem todos sobreviveram ao ‘Nam também. Como você também é filho de McQueen, relaxe e fique tipsy com o seu White Russian enquanto descansa depois de um desfile exclusive da sua bola de boliche na pista mais próxima de casa. Seu óculos também é fundamental para seus momentos multitasking profissionais e de recreação ou até para evitar o constrangimento de quando o seu traficante assistir “Meu Nome Não É Johnny” e ficar falando “João Guilherme é nóis aqui, igual a nóis”, forçando um sorriso yellow Saint-Tropez que seu medo de morrer e sua dificuldade para ter relações sociais.

Bom, com seu costume design pronto, você já pode se desaventurar, sem a menor aptidão, em um mundo de chantagens e crime. Não gostou?That’s, like, your opinion, man. Fuck it, let’s go bowling.

Correio Fashionista #5

21 jun

Amiga descolada, hoje é terça-feira e, como já estamos cansados de saber, é dia de tomar uma ceva tirar as dúvidas dos leitores com o Correio Fashionista.

Moro no Rio de Janeiro, estado que Satanás usa como forno micro-ondas. Ou seja, consideramos como temperatura amena a sensação térmica de 57 graus centígrados (à sombra). Enquanto o calor prevalece todos se vestem de acordo com a ocasião, criando tendência e fazendo a moda praia acontecer. Ocorre, porém que quando a temperatura baixa dos 30 graus já nos sentimos no círculo polar ártico e aí, amigo, a moda desanda. Gostaria de obter preciosas dicas com vocês de como se vestir adequadamente para esta época do ano de outono e inverno usando principalmente itens oriundos do armário de verão. Uma sunga poderia ser utilizada como touca de maneira elegante? Ajude-nos a compor um estiloso guarda-roupas sem medo de encarar o frio de 27 graus.

Muito obrigado,
Charles

Primeiramente, obrigado por enviar esta cartinha, Charles. Como você já deve saber, nós moramos no sul do país e estamos acontumados com temperaturas gélidas como essa que você enfrenta. Aqui nós chamamos estas temperaturas de “verão”.

Se vestir bem no verão é fácil. Você coloca uma bermuda e um chinelo e está pronto para viver. A única coisa que difere você daquele mendigo que cuida do lixo do seu prédio é que ele, infelizmente, não tem um chinelo.  Já no inverno, você precisa de mais roupas e logo pensa “Agora serei diferente de um mendigo”.

Apesar de ser sadio desejar ser diferente de um mendigo, você também pode aprender muito sobre life-style com ele. Pergunte para ele em que igreja ele consegue as suas roupas, quais são os melhores points para descolar aqueles abrigos vintages da campanha do agasalho, transforme a falta de higiene pessoal num escudo contra o frio e deixe a barba e cabelo crescer. E aí sim você estará pronto para enfrentar o inverno com estilo. Seja livre para inventar looks. Lembre-se: se uma menina pode usar shorts com meia calça, você como homem pode tudo.

E você? Tem alguma dúvida como a do Charles, nosso menino da praia? Então nos envie um email. Vamos responder os melhores no Correio Fashionista, toda terça-feira.

Look Cativeiro

20 jun

O mundo fashionista é uma fantasia exagerada e muitas vezes não conseguimos adaptar aquela composição vista na passarela em nossa vida real. O look desta segunda-feira pós SPFW serve para nos colocar novamente na realidade. Afinal, quem nunca saiu da pizzaria e PAN! foi rendido e colocado no porta-malas do próprio carro?

Utilizando as dicas anotadas na São Paulo Fashion Week, montaremos um look sóbrio e envolvente, que será o fator decisivo na escolha entre liberdade e perder a sua outra orelha. Não é porque você foi sequestrado que você vai deixar de vestir bem, né?


Animale (não é o nickname do seu sequestrador italiano) nos ensinou que uma camiseta azul claro é uma excelente pedida para passarmos uma vibe de paz e serenidade (não queremos deixar ninguém nervoso nessa situação). O contraste com o marrom sujeira e o vermelho sangue tornam este look perfeito para um sequestro, relâmpago ou não.

A calça de Tactel volta com tudo. Ela seca rápido, é confortável, aquece quando o clima fica frio e refresca quando o clima fica quente. Com certeza ela será o highlight do cativeiro.


Vermelho, a cor do próximo verão, também aparece neste look. O capuz, essencial para os momentos forever alone, contrasta com a camiseta e solidifica o visual. Independente da resolução (morte ou liberdade) com este look você poderá gritar gemer “estou pronto”. E está mesmo.

Complementa o look uma algema de fita adesiva transparente, indicada para você que conquistou a confiança do seu sequestrador e não quer chamar a atenção de transeuntes quando, naquela after do espancamento, sair pegar um solzinho na laje do seu cativeiro. Estocolmo tá super usando.

%d blogueiros gostam disto: