Arquivo | agosto, 2011

Look Street Art

31 ago

Vocês acham que vão vir aqui e rir de fotinho engraçada de gente que não teve presença paterna na infância? Pois botem seu outfit aprendizado, peguem seu Gombrich e se preparem para a palmatória: hoje vou dar uma aula sobre história da street art. Look especial para você que acha que Banksy é o nome do remédio que o McQueen tomou para se matar. Não gostou? Você está out, pois moda e arte andam lado a lado, assim como o Marco Nanini e o Ney Latorraca (escrever Neyla Torraca e corrigir tá super usando).

Primeiramente: óculos e cabelo preso. Sim. Me chamem de vendido. Eu chamo de vida sexual ativa. Por mais que eu siga os princípios do TDUL diariamente, quando a namorada vem, eu me esforço um pouco mais. Existem coisas melhores que dignidade (e.g. um boquete). Agora vamos à obra: é uma loja de eletrônicos, tecnologia. Para melhor fruição da obra, é fundamental recriar o raciocínio do artista: “Um CPU, ok. Caixinhas de som, checado. Um monitor, aí. O que mais é tecnológico e dá uma ideia do que vendemos nessa loja?”.

Usar o Homem de Ferro tornou dessa peça uma masterpiece do estilo contemporâneo, da apropriação, do remix e dos millenials. O fato do artista não assinar só confirma que ele, com espírito livre e braços abertos, aceita que não existe mais copyright.

Aqui, embora a olho nu, a primeira referência seja O Jardim das Delícias de Bosch, aqui fica clara a colaboração: enquanto um artista (ou art designer, como gosto de chamar) representa a brasiliedade, o rococó, o superrealismo, o outro (responsável pelo “traidor!!” ) traz a anarquia e o nonsense do dadaísmo. Diego Rivera não seria tão politizado e urgente. E ainda assim seu perder seu laissez-faire: não há nada de errado em lucrar com a arte. E que melhor maneira fazer isso do que escreveu seu nome e telefone? Falando em nome, Léo Graffitis me fez pensar em outro Léo: o Da Vinci.

Como ignorar o stencil? Fundamental para possibilitar que o homem comum dissemine sua ideologia, seus pensamentos e sua criação. Os mais fracos de alma podem imaginar que seja apenas uma catalogação das caixas de luz da rua, mas eu gosto de acreditar que existe um universo gigante por trás desse GAY gravado ali. Harvey Milk chora, orgulhoso.

E falando nisso tudo, terminamos a aula de hoje com o Hieronymus Bosch fazendo a bicha petulante (a.k.a DIVA):

Quero um resumo de 3 linhas na caixa de comentários.

Correio Fashionista #14

30 ago

Dúvidas sobre moda, invasões alienígenas ou bondage na terceira idade? Hoje tem correio fashionista.

Olá fashionistas,

Recentemente estava correndo pelo vão do MASP em São Paulo usando calça jeans, tênis all star, um casaco verde-água e uma pochete. Eis que encontro uma antiga colega de colégio que, após me olhar de baixo a cima, disse que meu look estava super out. Primeiramente não me importei, mas depois comecei a pensar que um broche com propaganda política na pochete deixaria o look totalmente in. O que vocês acham?
Também queria dizer que sempre sigo as dicas de vocês!
Muito obrigada,
Mishely


Olá, Mishely (mesmo que seja esse o nome que veio no seu e-mail – nome que, convenhamos, também não é muito bonito). Primeiramente você estava correndo pelo vão do MASP, e mesmo sendo o MASP, ainda assim estava praticando atividade física, ou seja, precisa de outfit para cooper, sport style, fistfucker, e o que estava out não era a pochete com ou sem broche de propaganda política e  sim a calça jeans, que pode ser substituída por uma calça tactel, ideal para práticas esportivas e conforme já nos mostrou o Gabriel, totalmente aprovada como visual urbano / moderno / contemporâneo / rastafari / blogueiro. Você ainda pode optar por uma calça suplex, acessório subestimado pela moda porque a moda não é feita por homens heterossexuais. Se fosse, além de suplex, todas calças femininas seriam brancas.

E você? Tem alguma dúvida como a da Lygia, digo, Mishely? Então nos envie um email. Vamos responder as melhores no Correio Fashionista, toda terça-feira.

Look para receber o carteiro

29 ago

Oi meninas. Vocês já estavam dormindo, sonhando com o Sawyer numa ilha perdida e de repente BAM! a campainha toca e você descobre que já é um novo dia e o correio tem uma encomenda para você? Aaaffffff!!!

Tentar lembrar onde você colocou a chave da porta não é fácil, mas sabe o que é mais difícil? Escolher o outfit correto. A minha dica é: na noite anterior, já vá dormir preparado.

A calça de pijama azul celeste joga com a t-shirt vermelha com estampa engraçadinha comunista, como se você quisesse provar para os Correios & Telegrafos que com você as coisas são diferentes: a briga entre céu e inferno muda de lado (saudades das aulas de semiótica NOT).

Como em um comercial de shampoo o seu cabelo já está pronto desde cedo para receber o Mr. Postman e a cartinha daquele affair (ou o brinde que a Imaginarium prometeu enviar mas nunca enviou) que você tanto esperava.

E por que não seguir as tendências esportivas e mostrar para o carteiro todo o amor que você sente pelo seu esporte preferido: o MMA? Seja um minotauro fashionista e vá em busca da sua encomenda usando uma pantufa com alguns sinais de mofo. Se o carteiro não elogiar o seu style, pode ligar pra ouvidoria.

Look Fanboy/Freelancer a.k.a. desempregado

26 ago

Todo fashionista que faz valer a condecoração de hipster descolado necessita de  trabalho, ou de job,(se gostar de meninos) mantendo assim sua mente hypada de referências acesa o suficiente pra que a vida, essa mulher tomada de vingança e sem qualquer escrúpulo,  pareça interessante o suficiente para ser vivida. Quando o jovem trendsetter se vê sem trabalho, o look da apresentação do homeworker faz total diferença aos olhos dos diretores de arte homoafetivos que são responsáveis pelas contratações, afinal, se eu contratasse mulheres certamente prestaria atenção na forma como elas se vestem. Você precisa se vender (flickr) e outfit ideal precisa ter a presença de uma mulher de exatos 20 anos (mas para o mundo dos negócios). Você está em casa fumando maconha e catalogando seus quadrinhos esperando que um trabalho caia do céu (flickr) mas ao mesmo tempo o mundo te observa, tendo papel importante na representação da moda atual.

Entre no jogo fazendo o Pc Siqueira, traga no vinil do Jaspion, na coleção de X-Files com miniatura de alienígena e no quadrinho raro com o confronto dos heróis que vocês estampa em sua camiseta (mesmo o Homem-Aranha sendo legal, você sabe que o Super Homen só está aí por causa do Jerry Seinfeld – péssimo critério para comprar roupas, mesmo sendo um homem) o espírito fanboy bv que faria o Luis Boça ruborizar. O óculos Renato Russo, total piece de resistence, te assemelha àquelas homens de quarenta anos, casados e com filhos, mas que não saíram do armário e desde que chegaram à famosa casa decimal tem se dedicado com muito ênfase a jardinagem. Camisetas desbotadas do Homem-Aranha com quadrinho underground sobre issues de um pervertido tá super usando, afinal, depois de um determinado tempo da sua vida é possível perceber que caras usando uma cueca por cima de uma calça de lycra com capa nem são a melhor temática para um quadrinho (nem aqui no tododiaumlook o senso do ridículo em relação a moda (“realmente nos vestimos assim”, Vinicius Perez) é levado ao extremo.)

Look Single player

24 ago

Ah, terça-feira à noite. O horário que eu escrevo o meu look pra esse blog. Ou pelo menos é o que eu teria feito se os bróder playboy com videogame não tivesse me convidado pra jogar um pouquinho. Vocês já ficaram chapados de videogame? É bom demais, tipo crack (só que tu continua gordo).

Só porque você vai ficar trancado em casa jogando videogame não quer dizer que você vá se vestir mal. Ou você quer se ver feio quando a tela ficar preta pra Loading e seu reflexo aparecer na TV?

Que delícia, é a festa da libido. Esqueça tudo que você sabe de street fashion, afinal você não vai sair de casa pelos próximos dois dias, até terminar de jogar esse God of War, aquele Crash e o Mario Galaxy. E se alguém perguntar “Conhece o Mário?”, não evite responder “Conheço sim. É o Herchcovitch que eu enfiei no cu da tua mãe.”. Você faz o blasé e não se importa: o mundo dos games é uma festa e você é o Kanye West (vide os óculos ridículos).

Començando backwords, pelo acessório: o olho esbugalhado. Você morreu engasgado na espinha de um bolhinho de bacalhau que o Habbibs entregou na sua casa ou exagerou no delineador? Nenhum dos dois, você está apenas a sete horas tentando virar Katamari Damacy enquanto todos os médicos, que sua mãe contatou aos prantos te diagnosticam com autismo. A mão suja de Cheetos tá super usando mostra que você entendeu o real conceito de jogabilidade: não importar a dinâmica do jogo, a gente quer conseguir passar de fase com os dedos engordurados de salgadinho. Siliga, Sony!

“Mas o que tudo isso tem de relação com seu outfit?” pergunta aquela comentarista pedante e babaca. Bom, muito, my dear:

A shirt obviamente é uma referência ao Tommy Vercetti, protagonista do GTA: Vice City que nos ensinou lições valiosas como: se você bater numa prostitua, ela vai devolver o dinheiro. O clima summerish é perfeito pra quem trabalha no mundo do crime, afinal todos sabem o quão desconfortável é quebrar o joelho de quem te deve usando um daqueles ternos pretos da máfia.

A calça de capoeirista é obviamente consequencia do sonho brasileiro: brasiliedade é in, por isso Eddy o capoeirista é a melhor referência no mundo dos games. Por ser negro e brasileiro, precisamos só pagar 60% do valor oficial (não fazemos as regras, foram esses os valores que a fashion week de NY nos passou). No fim, aquele parente que não te conhece nem da maneira mais superficial (ele te deu uma calça de capoeira GG de presente!) acabou acertando.

O boné é um grande salve à cultura hip-hop do Parappa-The-Rapper, esse cãozinho roots (ou rooteira, como diz aquele babaca da faculdade que organiza trilhas) que representa demais. Von Dustch era a única marca de boné no lar do amigo playboy, mas eu recomendaria outra (ele passa uma vibe “eu e meus amigos estupramos em grupo” que nem sempre é bacana passar).

Acredito ter ficado clara a lição fashion de hoje: não jogue videogame demais. Vai afetar sua vida social e, principalmente, a qualidade do seu texto no Todo Dia Um Look. Se você aguentou ler até aqui, pegue seu iPad no balcão próximo à saída.

NO PRÓXIMO ARRESTED DEVELOPMENT:

O fantástico look para assaltar a casa do Macaulay Culkin.

Look Um Ano Sem Zara

22 ago

Como excelentes seres humanos, além de lançar trends nós também seguimos as tendências do mundo da moda. E sabe o que tá superusando nessa semana? Trabalho Escravo.

E não é porque você é um escravo que você tem que se vestir mal. O Todo Dia Um Look te dá o style certo para conseguir viver um ano sem Zara, um ano sem plano de saúde e um ano sem creme dental. Afinal, sua oficina clandestina de costura é sua Cuba. E aflorar a latinidade é trendy.

A falta de um alvará é compensada pela sobra de umidade do local, que propicia a criação de mofo não só nas paredes da oficina, mas também nas paredes de seu pulmão. Para driblar qualquer doença que te matará em 5 anos (a firma não se responsabiliza) use um moleton cor tijolo jogando com o jeans tailormade que você mesmo costurou.

Estamos em 2011 e é super importante que o ambiente do trabalho seja confortável, por isso complete o look com um chinelo e meias.

Se eu tivesse INSS, colocaria minha mão no fogo para dizer que o próximo trendtopic fashionista é o uso de estampas atrás dos ombros. Fique de olho (com a ajuda de um espelho, claro). Agora você está pronto para costurar ainda mais peças e fazer a sua parte, tornando o mundo um lugar mais bonito e digno. Pegue seu pagamento e coloque no cofrinho. Mais 17 meses e você terá o suficiente para um Nebulizador.

Keep Calm and vista a camisa da firma =)

Look dos Bróder

19 ago

É quinta-feira a noite e o final de semana se aproxima com o furor de um hipster completamente tatuado com um corte de cabelo dos anos 20 e uma porcetagem mínima de masculinidade. Esse é o dia que você, trendsetter proprietário de tumblr infestado de imagens de raposas e alces bem como infográficos sobre Woddy Allen, permite-se relaxar, beber, comer amendoins e assistir um vt do brasileirão com seus amigos do 2º grau (faz muito tempo, amigo, praticamente a idade da mais famosa top model do momento com arcada dentária esquisita) como todo fashionista que se preze.

Sobreposição de peças (talvez a única coisa que aprendi sobre moda, graças a minha grande amiga Betina) está em alta, ainda mais na Serra Gáucha, onde o conceito também se extende ao sempre presente conselho das mães/avós: “leva um casaquinho que vai esfriar”. Jaqueta esportiva, camisa de lenhador universitário (oh wait) e estampa da Uma Thurman empunhando uma espada são o outfit ideal para, entre uma cerveja e outra, figurar entre os coxinhas de sua cidade e trocar olhares na fila do banheiro com uma misteriosa garota que, por infelicidade do destino, se atracou aos beijos com um cara muito mais careca do que você.

No final das contas, o seu piece de resistánce é a verdadeira amizade, cultivada desde a época do 2 grau, entre brigas com os valentões, ensaios de bandas que nunca deram certo e  bebedeiras de vinho em pleno horário de aula. Nota-se que mesmo sem um contato frequente o senso comum pela moda entre os amigos torna-se evidente, como se os três marmanjos fossem menininhas de 13 anos combinando “Ai, guriaaas, hoje vamos todas de Adidas!” (post não pago – fica a dica, ADIDAS).  Broderagem das antiga é atemporal, sempre vai tá superusando.

%d blogueiros gostam disto: